Mostrando postagens com marcador #Profecias. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador #Profecias. Mostrar todas as postagens

ADVERTÊNCIA DE JESUS CONTRA OS FALSOS PROFETAS

Sinais do tempo do fim
Na profecia de Jesus sobre o “sinal” de sua “presença” (parusia) e a “terminação do sistema de coisas”, Jesus indicou que surgiriam falsos cristos antes da desolação de Jerusalém em 70 E.C. Ele iniciou sua profecia neste tom, dizendo aos seus apóstolos indagadores: 


“Olhai para que ninguém vos desencaminhe; pois muitos virão à base do meu nome, dizendo: ‘Eu sou o Cristo’, e desencaminharão a muitos.” (Mateus 24:4,


5) Mas, eles mostraram ser falsos, impostores; porque não produziram a libertação de Jerusalém, nem qualquer libertação. Após a destruição de Jerusalém, os judeus que não cressem em Jesus como sendo o Messias teriam de continuar a aguardar um Messias na carne. Por outro lado, os cristãos judaicos e não-judaicos teriam de continuar a aguardar a prometida “presença” (parusia) do verdadeiro Messias, Jesus, o Filho de Deus. 

A tática que os enganadores empregariam para induzir os interessados a ir após pretensos messias foi descrita por Jesus após predizer a desolação literal de Jerusalém pelas legiões romanas. Ele continuou a dizer:

59 “Então, se alguém vos disser: ‘Eis aqui está o Cristo!’ ou: ‘Ali!’, não o acrediteis. Porque surgirão falsos cristos e falsos profetas, e farão grandes sinais e prodígios, a fim de desencaminhar, se possível, até mesmo os escolhidos. Eis que eu vos avisei de antemão. Portanto, se vos disserem: ‘Eis que ele está no deserto!’, não saiais; ‘eis que ele está nos aposentos interiores!’, não o acrediteis. Pois, assim como o relâmpago sai das regiões orientais e brilha sobre as regiões ocidentais, assim será a presença [parousia] do Filho do homem. Onde estiver o cadáver, ali se ajuntarão as águias.” — Mateus 24:23-28.

60 Melhor do que qualquer outro na terra, Jesus, “o Filho do homem”, sabia como realizaria sua vinda e presença. Ele não se situaria nem “aqui”, nem “ali”, nem em qualquer lugar específico da terra. Não apareceria em algum lugar isolado, “no deserto”, de modo que os que buscam o Messias possam recorrer a ele lá longe da observação por parte das autoridades governamentais do país, para poderem treinar sob a liderança dele lá fora e preparar-se para dar um golpe político, um golpe de estado, empossando-o como governante messiânico do mundo. (Atos 5:36, 37; veja 1 Samuel 22:1, 2.) Nem se esconderia em “aposentos interiores”, cujo lugar fosse conhecido apenas a uns poucos escolhidos, para que pudesse ali conspirar sem ser observado e descoberto e traçar planos secretos com os cúmplices, para derrubar o governo mundial e fazer-se ungir como o Messias prometido. (Veja 2 Reis 9:4-14.) Ao contrário, não haveria nada para esconder a respeito de Jesus se ter tornado Rei e começado sua presença régia.

61 Sua presença ou parusia havia de ser igual ao relâmpago quanto ao seu efeito. Sua parusia havia de ser semelhante ao relâmpago, não em lampejar de repente, inesperadamente e numa fração de segundo. A ênfase dada ali não é em o relâmpago brilhar instantaneamente, sem ser anunciado, mas em brilhar sobre uma vasta região, das partes orientais às partes ocidentais. (Lucas 17:24) O poder iluminador do relâmpago é igual ao descrito no Salmo 97:4: “Seus relâmpagos iluminaram o solo produtivo; a terra viu e ficou em severas dores.” Também, os habitantes da terra não haviam de ficar em escuridão a respeito da parusia do Filho do homem. Todas as pessoas haviam de ser iluminadas, de horizonte a horizonte, a respeito da parusia régia dele. Esta se havia de tornar tão pública como o lampejo do relâmpago, pelo seu poder iluminador, seu brilho extenso. As palavras de Cristo aos seus apóstolos há dezenove séculos atrás aplicam-se hoje aos discípulos dele, que conhecem sua parusia invisível:

62 “Portanto, não os temais; pois não há nada encoberto que não venha a ser descoberto e não há nada secreto que não venha a ser conhecido. O que eu vos digo na escuridão, dizei na luz; e o que ouvis sussurrado, pregai dos altos das casas.” — Mateus 10:26, 27.

63 A finalidade do surgimento de falsos cristos e falsos profetas é “desencaminhar, se possível, até mesmo os escolhidos”. (Mateus 24:23-25; Marcos 13:21-23) Mas os fiéis “escolhidos” não se deixarão induzir a uma busca inútil. Não se deixarão levar em diversas direções, em busca de algum pretendente visível na carne. Não se deixarão atrair a algum homem visível, na carne, que afirme ser o Cristo, fazendo grandes demonstrações para provar sua identidade como tal. (Lucas 17:22, 23) Sabem das Escrituras para onde devem olhar. 

São como as águias, cuja vista aguda aumenta coisas microscópicas longe embaixo na terra, sem erro. (Jó 39:27-29) Portanto, não se ajuntam a um falso cristo, só para acabar espiritualmente desnutridos. Iguais às águias que podem enxergar o cadáver comestível desde longe e que se ajuntam ali para uma refeição em comum, os “escolhidos” discernem onde se encontra o verdadeiro alimento espiritual, a saber, junto ao verdadeiro Cristo, na sua parusia invisível, e ali é que se ajuntam e encontram nutrição espiritual. — Lucas 17:37.

64 De modo algum fará o Rei Jesus Cristo, na sua parusia, um aparecimento visível na carne, em qualquer lugar da superfície da terra. Isto é tudo o que os falsos cristos podem fazer, sendo meros homens de sangue e carne. Mas é diferente com o ressuscitado, glorificado e reinante Senhor Jesus Cristo. (1 Timóteo 6:14-16) É para isto que ele chamou a atenção de seus apóstolos, ao prosseguir ainda mais com a sua profecia, dizendo: “Imediatamente depois da tribulação daqueles dias, o sol ficará escurecido, e a lua não dará a sua luz, e as estrelas cairão do céu, e os poderes dos céus serão abalados. Então aparecerá no céu o sinal do Filho do homem, e todas as tribos da terra se baterão então em lamentação, e verão o Filho do homem vir nas nuvens do céu, com poder e grande glória. 

E enviará os seus anjos com grande som de trombeta, e eles ajuntarão os seus escolhidos desde os quatro ventos, de uma extremidade dos céus até à outra extremidade deles.” — Mateus 24:29-31; Marcos 13:24-27.
Continue lendo...

A Crise Financeira Internacional e a Devastação das Economias das Nações

“Os pescadores gemerão e se lamentarão como também todos os que lançam anzóis no Nilo; os que lançam redes na água se desanimarão.
Os que trabalham com linho e os tecelões de algodão se desesperarão. Os nobres ficarão deprimidos, e todos os assalariados ficarão abatidos.” Isaías 19:8-10
 
        
crise mundial

 
O ano de 2013 vem trazendo consigo o que é apenas um ainda brando começo de um período de crises econômicas que, simplesmente, não terão mais fim até que venha o Senhor. Líderes e governantes dos quatro cantos da terra estão confusos e desorientados sobre os rumos que tomarão as economias de seus países, todos eles já profundamente endividados. Teorias econômicas e políticas monetárias são vistas, revistas, modificadas e mescladas, mas nada está adiantando. O empobrecimento das pessoas não para de aumentar, a despeito de falsas e mentirosas propagandas de mídias prostituídas e vendidas aos governos e bancos.
As chamadas crises cambiais (a confusão literal sobre o valor das moedas dos países) desnorteia os povos que já não conseguem mais saber o valor do dinheiro, calculam e erram, tornam a calcular e se confundem, e as principais moedas do mundo perdem o seu valor a cada dia que passa em um processo inflacionário que ninguém sabe como deter.
Todas as nações estão profundamente endividadas e fortunas são perdidas a cada dia que passa. Há fomes, desemprego em larga escala, despejos, confisco de bens, deterioração de patrimônios, multidões de mendigos e de famintos perambulando pelas cidades, e tudo isto bem diante dos nossos olhos.
Mas, afinal, o que está acontecendo com a Economia? Por que tudo está piorando no terreno das finanças, quer seja de países, estados e de pessoas?
Ora, se eu moro, sem pagar, nas terras de alguém, se como e bebo, gratuitamente, nessas mesmas terras, se planto e colho em território que não me pertence, mas que a mim foi generosamente entregue pelo proprietário, e ainda assim desprezo, zombo e dou as costas ao dono de todas essas terras, o que eu poderia esperar em retorno?
“Porque meu é todo animal da selva, e o gado sobre milhares de outeiros. Conheço todas as aves dos montes, e são meus todos os animais que pululam no campo. Se eu tivesse fome, não to diria, pois o mundo é meu e quanto nele se contém.” Salmos 50:10-12
Os roubos, a corrupção, as fraudes, o desnorteio econômico, o empobrecimento e a miséria são consequências do desprezo ao Dono da Casa, o Criador dos céus e da terra. Deus está entregando o mundo nas mãos de ladrões e de saqueadores, pois as pessoas preferem dar ouvidos a essa gente do que dar ouvidos a Deus. Deus tem sido desprezado e insultado.
Até a vinda do Senhor Jesus Cristo ao mundo, o Messias de Deus, Israel era o povo de Deus. Foi com eles, os israelitas, que Deus estabeleceu alianças e firmou promessas. Mas Israel começou a desprezar a Deus e a provocar a sua ira, com os muitos pecados e com as grandes infidelidades que cometeu para com o Senhor Deus.
Desde aquele tempo, Deus já havia advertido ao seu povo - o que serve de exemplo para nós - o que aconteceria ao povo se este o desprezasse:
“Porquanto não serviste ao SENHOR teu Deus com alegria e bondade de coração, pela abundância de tudo. Assim servirás aos teus inimigos, que o SENHOR enviará contra ti, com fome e com sede, e com nudez, e com falta de tudo; e sobre o teu pescoço porá um jugo de ferro, até que te tenha destruído.” Deuteronômio 28:47-48
E ainda outro exemplo para nós:
“A voz do SENHOR clama à cidade, e é verdadeira sabedoria temer-lhe o nome: Ouvi, ó tribos, aquele que a cita. Ainda há, na casa do ímpio, os tesouros da impiedade e o detestável efa minguado? Poderei eu inocentar balanças falsas e bolsas de pesos enganosos? Porque os ricos da cidade estão cheios de violência, e os seus habitantes falam mentiras, e a língua deles é enganosa na sua boca. Assim, também passarei eu a ferir-te e te deixarei desolada por causa dos teus pecados. Comerás e não te fartarás; a fome estará nas tuas entranhas; removerás os teus bens, mas não os livrarás; e aquilo que livrares, eu o entregarei à espada. Semearás; contudo, não segarás; pisarás a azeitona, porém não te ungirás com azeite; pisarás a vindima; no entanto, não lhe beberás o vinho, porque observaste os estatutos de Onri e todas as obras da casa de Acabe e andaste nos conselhos deles. Por isso, eu farei de ti uma desolação e dos habitantes da tua cidade, um alvo de vaias; assim, trareis sobre vós o opróbrio dos povos.” Miquéias 6:9-16
A igreja desviada (a que saiu do nosso meio - a saber a Igreja Católica Romana - o ramo apóstata da Igreja) tem, por séculos, difundido a errônea idéia de que ser pobre é uma virtude e que Deus não se compraz com a riqueza de ninguém. Mas isto é completamente falso. Deus tem prazer na prosperidade do seu povo e suas mãos estão cheias de bênçãos espirituais e materiais para todos aqueles que o invocam, para aqueles que o temem. Exemplo disto são os muitos homens de Deus ao longo da História que eram ricos e tementes a Deus. Abraão, Isaque, Jacó, Davi, Salomão, Josafá, Ezequias e José de Arimatéia são alguns desses exemplos.
Deus não é contra a nossa prosperidade material, mas é preciso que os nossos corações estejam em ordem, em retidão de fé e humildes na presença do Senhor, a fim de que não suceda conosco o mesmo que aconteceu com os judeus:
“O SENHOR deixou que o seu povo dominasse as montanhas, e eles se alimentaram das plantações dos campos. Deu-lhes mel de abelhas nos rochedos e fez com que as oliveiras produzissem em terreno cheio de pedras. Alimentou-os com leite de vaca e de cabra, deu-lhes a carne dos melhores carneirinhos, carneiros e bodes, o melhor trigo e o vinho mais fino. O povo escolhido ficou rico, mas se revoltou contra Deus. Enriqueceu, progrediu, ficou satisfeito, mas abandonou a Deus, o seu Criador, e rejeitou o seu protetor e Salvador. Com os seus deuses falsos eles provocaram a Deus, adoraram ídolos nojentos, e por isso ele ficou irado. Ofereceram sacrifícios aos demônios, a deuses falsos que não haviam adorado antes, novos deuses que os seus antepassados não conheciam. Esqueceram o seu protetor; desprezaram o seu Pai e Criador.” Deuteronômio 32:13-18
Ergueu-se no mundo um monstro com vários tentáculos e garras, a Organização das Nações Unidas (ONU), de cujo corpo sai um violento tentáculo, o Fundo Monetário Internacional (o FMI), o qual, aliado ao Banco Mundial, está promovendo a disseminação do Comunismo por todo o ocidente. Não somente a América Latina, mas também a Europa e os Estados Unidos estão sucumbindo aos esquemas socialistas propagados e induzidos por esses monstros, empobrecendo as nações e os povos, tornando-os cada vez mais escravizados a dívidas e a uma espantosa carga de impostos. E o Brasil é um exato exemplo disto.
Assim como Deus entregou as riquezas dos israelitas nas mãos dos midianitas e dos amalequitas, a fim de serem devoradas, o mesmo acontece em nossos dias, por causa do desprezo a Deus.
“Porém os filhos de Israel fizeram o que era mau aos olhos do SENHOR; e o SENHOR os deu nas mãos dos midianitas por sete anos. E, prevalecendo a mão dos midianitas sobre Israel, fizeram os filhos de Israel para si, por causa dos midianitas, as covas que estão nos montes, as cavernas e as fortificações. Porque sucedia que, semeando Israel, os midianitas e os amalequitas, e também os do oriente, contra ele subiam. E punham-se contra ele em campo, e destruíam os frutos da terra, até chegarem a Gaza; e não deixavam mantimento em Israel, nem ovelhas, nem bois, nem jumentos. Porque subiam com os seus gados e tendas; vinham como gafanhotos, em grande multidão que não se podia contar, nem a eles nem aos seus camelos; e entravam na terra, para a destruir. Assim Israel empobreceu muito pela presença dos midianitas; então os filhos de Israel clamaram ao SENHOR.” Juízes 6:1-6
A crise financeira internacional que hoje apenas começa a se abater sobre o mundo inteiro simplesmente não terminará até o Grande Dia, o dia do Juízo de Deus. O mundo apenas começou a sentir na pele o desagrado e a ira de Deus. Não que Deus seja o responsável por esta crise de proporções nunca antes vistas, mas os homens são os responsáveis, principalmente os arrogantes, os levianos, os corruptos, os parasitas e os preguiçosos. E Deus está entregando o mundo nas mãos dessa gente. E por que? Como já dito, pelo desprezo que os homens têm dado a Deus.
O Que fazer? Como se proteger destas calamidades que começam a atingir o Mundo?
A primeira coisa a ser feita é buscarmos a Deus, rendendo-nos ao senhorio do Senhor Jesus Cristo, pois sem o Filho, ninguém tem acesso ao Pai, o Criador.
“Todo aquele que nega o Filho, esse não tem o Pai; aquele que confessa o Filho tem igualmente o Pai. Permaneça em vós o que ouvistes desde o princípio. Se em vós permanecer o que desde o princípio ouvistes, também permanecereis vós no Filho e no Pai.” 1 João 2:23,24
“O Pai ama ao Filho, e todas as coisas tem confiado às suas mãos. Por isso, quem crê no Filho tem a vida eterna; o que, todavia, se mantém rebelde contra o Filho não verá a vida, mas sobre ele permanece a ira de Deus.” João 3:35,36
Pedir socorro e proteção a Deus em oração diária
“Pedi, e dar-se-vos-á; buscai e achareis; batei, e abrir-se-vos-á. Pois todo o que pede recebe; o que busca encontra; e, a quem bate, abrir-se-lhe-á. Ou qual dentre vós é o homem que, se porventura o filho lhe pedir pão, lhe dará pedra? Ou, se lhe pedir um peixe, lhe dará uma cobra? Ora, se vós, que sois maus, sabeis dar boas dádivas aos vossos filhos, quanto mais vosso Pai, que está nos céus, dará boas coisas aos que lhe pedirem?” Mateus 7:7-11
Confiar em Deus e posicionar as coisas, no coração e na mente, em sua verdadeira hierarquia
“Por isso, vos digo: não andeis ansiosos pela vossa vida, quanto ao que haveis de comer ou beber; nem pelo vosso corpo, quanto ao que haveis de vestir. Não é a vida mais do que o alimento, e o corpo, mais do que as vestes? Observai as aves do céu: não semeiam, não colhem, nem ajuntam em celeiros; contudo, vosso Pai celeste as sustenta. Porventura, não valeis vós muito mais do que as aves? Qual de vós, por ansioso que esteja, pode acrescentar um côvado ao curso da sua vida? E por que andais ansiosos quanto ao vestuário? Considerai como crescem os lírios do campo: eles não trabalham, nem fiam. Eu, contudo, vos afirmo que nem Salomão, em toda a sua glória, se vestiu como qualquer deles. Ora, se Deus veste assim a erva do campo, que hoje existe e amanhã é lançada no forno, quanto mais a vós outros, homens de pequena fé? Portanto, não vos inquieteis, dizendo: Que comeremos? Que beberemos? Ou: Com que nos vestiremos? Porque os gentios é que procuram todas estas coisas; pois vosso Pai celeste sabe que necessitais de todas elas; buscai, pois, em primeiro lugar, o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas. Portanto, não vos inquieteis com o dia de amanhã, pois o amanhã trará os seus cuidados; basta ao dia o seu próprio mal.” Mateus 6:25-34
Outras Medidas (estas completamente inúteis se as anteriores não forem postas em prática)
- Pagar, o mais rapidamente possível, todas as suas dívidas. E fugir do endividamento.
- Evitar, ao máximo, os gastos com coisas bobas, fúteis e desnecessárias, pois a crise financeira só piorará (não importa o que o mundo diga), e esse dinheiro gasto com futilidades poderá ser de grande uso, em um futuro muito próximo, para pagar as contas e as despesas mais essenciais.
- Poupe o seu dinheiro e tome cuidado com os bancos, pois os bancos, assim como o governo, não são nossos amigos. Muito pelo contrário!
- Evite ao máximo, o quanto puder, se distrair com diversões inúteis que só lhe distrairão dos seus principais objetivos e lhe consumirão tempo e energia física que podem (e convém sejam) aplicadas em coisas produtivas. Lembre-se de que os governos, historicamente, procuram distrair o povo com pão e circo. Dedique seu tempo a Deus, à Igreja, à sua família, a estudos e ao aperfeiçoamento profissional. Se possível, busque ter seu próprio negócio, nem que seja uma carrocinha de vender pipocas, pois o desemprego chegará a níveis espantosos.
- Planeje seu futuro financeiro, sua aposentadoria, e tenha um orçamento a fim de que você saiba como e onde está gastando o seu dinheiro. Tenha sempre pronta uma reserva financeira, pois você pode ser pego de surpresa.
- Estude e planeje o pagamento dos seus impostos, porque os governos ainda aumentarão, e muito, a carga de impostos sobre todos (e isto já está acontecendo no Brasil, nos Estados Unidos, na Europa e em muitos outros lugares). Se você não tiver um planejamento em relação aos impostos, correrá o risco de ver seus bens, e até mesmo sua casa, serem confiscados pelo governo.
- Não dê ouvidos aos grandes jornais e à televisão que dizem que tudo melhorará e que o Brasil e o mundo ainda experimentarão grandes prosperidades. Não dê ouvidos a isso! Pois está escrito:
“Porquanto se levantará nação contra nação, reino contra reino, e haverá fomes e terremotos em vários lugares; porém tudo isto é o princípio das dores.
Então, sereis atribulados, e vos matarão. Sereis odiados de todas as nações, por causa do meu nome. Nesse tempo, muitos hão de se escandalizar, trair e odiar uns aos outros; levantar-se-ão muitos falsos profetas e enganarão a muitos. E, por se multiplicar a iniqüidade, o amor se esfriará de quase todos.” Mateus 24:7-12

http://intellectus-site.com
Continue lendo...

PROFECIAS - Sinais do Fim dos Tempos 02

ego

“Sabe, porém, isto: que nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos. Porque haverá homens amantes de si mesmos, avarentos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a pais e mães, ingratos, profanos, Sem afeto natural, irreconciliáveis, caluniadores, incontinentes, cruéis, sem amor para com os bons, Traidores, obstinados, orgulhosos, mais amigos dos deleites do que amigos de Deus, Tendo aparência de piedade, mas negando a eficácia dela. Destes afasta-te.” (2 Timóteo 3:1-5)

Sinais da Sociedade

O Senhor Jesus disse que nos últimos dias a sociedade seria tão maligna como foi nos dias de Noé, ou seja, seria imoral, sem lei, violenta, dada aos prazeres, etc.
Em 2 Timóteo 3:1-5, o apóstolo Paulo disse que a sociedade do tempo do fim seria caracterizada por três amores:

o amor a si mesmo (humanismo)
o amor ao dinheiro (materialismo)
o amor ao prazer (hedonismo)
A mente dos homens se tornarão depravadas: 

“Além do mais, visto que desprezaram o conhecimento de Deus, ele os entregou a uma disposição mental reprovável, para praticarem o que não deviam.”(Rm 1:28)

As pessoas chamarão o mal de bem e o bem de mal: “Ai dos que ao mal chamam bem, e ao bem mal; que fazem das trevas luz, e da luz trevas; e fazem do amargo doce, e do doce amargo!” (Isaias 5:20)
Todas essas profecias estão se cumprindo diante de nós.  A sociedade tem rejeitando as diretrizes cristãs para escolher a imoralidade.

O nosso século é marcado pela explosão do conhecimento e invenções que trouxeram ao homem moderno a possibilidade de ter uma vida com conforto, prazerosa e regalada.  Porém, esse modo de viver trouxe ao homem uma série de problemas comportamentais (antes não existentes) que fazem com as pessoas façam tudo para manter ou alcançar esse padrão de vida.

As pessoas passam a ter diversos tipos de comportamentos e atitudes:
  • Aumento da competição;
  • Desejo de ganhar mais e mais;
  • Obrigações múltiplas diárias;
  • Work-a-holic (pessoas que se dedicam ao trabalho demasiadamente, como um vício);
  • Necessidade de procurar conhecimento novo a cada dia e primeiro do que os outros;
  • A alta atração por entretenimentos (cinema, internet, teatro, TV);
  • Aumento da concupiscência (desejos) por causa de novos aparelhos
  • Afastamento do homem da família (pelo trabalho ou por meio dos aparelhos usados em casa);
  • Novas diretrizes que afastam Deus da Sociedade;
  • Novos tempos no meio Evangélico: comércio, novas crenças, novos costumes, etc.
  • Afastamento dos crentes das Igrejas por causa de trabalho, lazer, estudo.
  • Afastamento do pensamento do homem das coisas de Deus;
O novo estilo de vida do homem moderno tem levado ao distanciamento de Deus, como se ‘coisas’ suprissem a Sua presença.  Deus foi relegado a segundo plano na vida de muitas pessoas, inclusive de muitos crentes, que só cultuam a Deus quando dá tempo ou quando querem adquirir dEle mais ‘coisas’.

Na verdade, as dificuldades que o seres humanos (incluindo os cristãos) estão enfrentando hoje estão relacionadas com o fato de estarmos vivendo os ‘tempos difíceis‘ sobre os quais Paulo falou:

“Sabe, porém, isto: nos últimos dias, sobrevirão tempos difíceis, pois os homens serão egoístas…” (2 Tm 3.1-2).

As pessoas estão morrendo por causa do amor – do amor a si próprias, do amor ao dinheiro e do amor aos prazeres desse mundo.

Desde sempre somos ensinados por vários ‘especialistas em psicologia’ que devemos amar a nós mesmos para amar ao próximo.

Até pregadores dizem isso nos púlpitos: “você precisa se amar”.  Conselheiros e televangelistas dizem: “Ame-se! Goste de si mesmo! Honre-se! Você merece!”

A autocomiseração (sentir pena de si mesmo) e exaltação do ego são facilmente aceitas pelas pessoas.
Paulo diz que os “amantes de si mesmos” são “mais amigos dos prazeres que amigos de Deus”. E isso está em total contradição com o Mandamento que Jesus nos ensinou:

“Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo o teu entendimento. Este é o grande e primeiro mandamento. O segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo” (Mt 22.36-39).

Jesus deixou claro que estava falando de apenas de dois mandamentos, pois disse:  “Destes dois mandamentos dependem toda a Lei e os Profetas” (Mt 22.40).

Não há nas Escrituras um mandamento que diz que a pessoa deve ‘amar a si mesma’.
A humanidade é infeliz e sofre com os problemas da vida porque se tornou “amante de si mesma” e “mais amiga dos prazeres que amiga de Deus”, ou seja o pecado do ser humano é amar a si mesmo mais do que a Deus e às outras pessoas.

Com relação a ‘amar-se a si mesmo’, Dave Hunt, teólogo e pesquisador em Escatologia diz o seguinte:

Linguisticamente, em toda a Bíblia, o termo agapao é sempre dirigido aos outros, nunca a mim mesmo. 

O conceito de amor-próprio não é o tema do Grande Mandamento, mas apenas um qualificativo. 

Quando Jesus ordena amar a Deus “de todo o teu coração, de toda a tua alma, de todo o teu entendimento e de toda a tua força” (Mc 12.30), Ele enfatiza a natureza abrangente desse amor agapao(amor-atitude, que vai além da capacidade do homem natural, sendo possível exclusivamente pela graça divina). 

Se Ele usasse as mesmas palavras para o amor ao próximo, estaria encorajando-nos à idolatria. Contudo, para o grau de intensidade de amor que devemos ao próximo, Ele usou as palavras “como a ti mesmo.

Jesus não nos ordenou a amar a nós mesmos. Ele não disse que havia três mandamentos (amar a Deus, ao próximo e a nós mesmos). Ele apenas afirmou: 

“Destes dois mandamentos dependem toda a Lei e os Profetas” (Mt 22.40). 

O amor-próprio já está implícito aqui – ele é um fato – não uma ordem. Nenhum ensino nas Escrituras diz que alguém já não ama a si mesmo. Paulo afirma: “Porque ninguém jamais odiou a própria carne; antes, a alimenta e dela cuida, como também Cristo o faz com a igreja” (Ef 5.29). 

Os cristãos não são admoestados a amar ou a odiar a si mesmos. Amor-próprio, ódio-próprio (que é simplesmente uma outra forma de amor-próprio ou preocupação consigo mesmo), e auto-depreciação (possivelmente uma desculpa para culpar a Deus por não conceder ao ego maiores vantagens pessoais), são atitudes centradas no eu. 

Os que se queixam da falta de amor-próprio geralmente estão insatisfeitos com seus sentimentos, habilidades, circunstâncias, etc. Se realmente odiassem a si mesmos, eles estariam alegres por serem miseráveis. Todo ser humano ama a si mesmo.

Em toda a Escritura, e particularmente dentro do contexto de Mateus 22, a ordem é dirigir aos outros todo o amor que o indivíduo tem por si. Não nos é ordenado que amemos a nós mesmos. Já o fazemos naturalmente. 

O mandamento é que amemos os outros como já amamos a nós mesmos. A história do Bom Samaritano, que segue o mandamento de amar o próximo, não só ilustra quem é o próximo, mas qual é o significado da palavra amor. Nesse contexto, amor significa ir além das conveniências a fim de realizar aquilo que se julga ser melhor para o próximo. A idéia é que devemos procurar o bem dos outros do mesmo modo como procuramos o bem (ou aquilo que podemos até erradamente pensar que seja o melhor) para nós mesmos – exatamente com a mesma naturalidade com que tendemos a cuidar de nosso bem-estar.

Portanto, independente da compreensão que se tenha dessa passagem bíblica, a verdade insconstestável é que o homem ama a si mesmo, do contrário Cristo teria dito: “Não odieis o próximo como a ti mesmo”. (Dave Hunt)

Paulo descreve quem são as pessoas ‘amantes de si mesmas” ou “egoístas”:  elas também são “avarentas, jactanciosas (ou presunçosas), arrogantes, blasfemadoras, desobedientes aos pais, ingratas, irreverentes, desafeiçoadas, implacáveis, caluniadoras, sem domínio de si, cruéis, inimigas do bem, traidoras, atrevidas, enfatuadas (ou soberbos), mais amigas dos prazeres que amigas de Deus” (2 Tm 3.2-4).

A lista de Paulo começa descrevendo as pessoas dos últimos tempos como amantes de si mesmas, ou seja, o egoísmo encabeça a lista dos males do final dos tempos. O materialismo vem em segundo lugar; as pessoas serão “avarentas”, amando o dinheiro e aquilo que ele é capaz de comprar;
Soberba - A pessoa ‘soberba’ (isto é, arrogante ou altiva) é ‘alguém que procura se mostrar superior aos outros’.

Orgulho e Vaidade – Muitos se gloriam de seus próprios atos e realizações com a finalidade de impressionar as pessoas. São adeptos do culto à personalidade, são presunçosos e soberbos e desejam ardentemente fama e projeção social.  A palavra “presunçosos” se refere a “alguém que alardeia e ostenta realizações, e em sua jactância ultrapassa os limites da verdade, procurando se destacar e se engrandecer em uma tentativa de impressionar”.

Egoísmo e Avareza – Essas são as características dos “amantes de si mesmos” e que fazem que elas sejam individualistas e tenham desejos incontrolável de alcançar seus interesses pessoais em detrimento do respeito e amor ao próximo. O egoísta é ambicioso e narcisista; adora a si mesmo (2 Tm 3.2). Já o avarento, “amante do dinheiro”, é obcecado pelo lucro. Nestes últimos dias, o materialismo tem levado as pessoas a se digladiarem pelo vil metal e infelizmente, as promessas de “fortuna fácil” têm atingido os púlpitos de muitas igrejas. “Pois o amor ao dinheiro é raiz de todos os males. Algumas pessoas, por cobiçarem o dinheiro, desviaram-se da fé e se atormentaram a si mesmas com muitos sofrimentos.” (1 Tm 6.10).

Incontinência – Sem domínio próprio, não consigam refrear seus impulsos naturais dominados pelo pecado (Rom 1.23-32).

Desobediência aos pais e ingratidão – Temos visto ao longo da história que a cultura anticristã tem incentivado a desobediência ao mandamento divino, explicito em Êxodo 20.12 “Honra teu pai e tua mãe, a fim de que tenhas vida longa na terra que o Senhor teu Deus te dá.”. Porém, nada se compara com a insubordinação obstinada dos filhos aos pais nesses últimos dias. Os ‘desobediente a pais e mães’ são os rebeldes.

Desamor e Crueldade – Há por toda a parte pessoas desprovidas de “afeto natural”, isto é, que não tem afeição, amor e cuidado nem mesmo pela própria família. São pais desafeiçoados aos filhos e filhos que não tem a menor consideração e carinho pelos pais.

Dureza do coração e Calúnia – A palavra de Deus adverte que nos últimos dias, os homens iriam se tornar irretratáveis, “duros de coração”, e incapazes de perdoar. Nas regras de sobrevivência do mundo moderno não há espaço para a compaixão e perdão.  Calúnia, no original “diábolos”: são caluniadores aqueles que se comprazem em depreciar a honra e a moral alheia .

Traição e Hipocrisia – São desvios de caráter de pessoas que se orgulham de enganar e descumprir promessas em razão de conveniências pessoais. Temos exemplos na política e em alguns executivos de empresas.

Aversão ao bem – A Bíblia diz que nos últimos dias os homens seriam inimigos do bem e se negariam a praticá-lo. Desprezariam os bons e amariam os maus.  Atualmente a industria do entretenimento tem induzido nossas crianças a gostarem de “heróis” de caráter explicitamente mau, seres demoníacos e monstros malignos através de jogos eletrônicos e das historias em quadrinhos.

Abuso do poder – Pessoas obstinadas, orgulhosas e atrevidas que abusam do poder e cultuam a própria personalidade.

Blasfêmia e Irreverência – Os ‘blasfemos’ são aqueles que usam suas palavras para caluniar os outros. Há os que ultrajam a glória de Deus e aqueles que difamam o comportamento religioso do cristão e a doutrina. Os blasfemos também são irreverentes. O termo “irreverente” significa “ímpio” ou “sem respeito pelo sagrado”. No final dos tempos os homens se afastarão de Deus a ponto de perderem o respeito pelas coisas santas.

Apego aos prazeres mundanos – A Bíblia diz que nos últimos dias os homens viverão em função do prazer deste mundo, isto é, serão “mais amigos dos deleites do que de Deus”. O estilo de vida mundano, chamado atualmente de ‘hedonismo’, prega que o principal alvo da vida humana é a obtenção do prazer, a fim de evitar a dor e o sofrimento.“Os principais pecados contra Deus, praticados por esse século vil, são: blasfêmia, irreverência e apego aos prazeres mundanos”.

Conclusão
Amar a si mesmo mais do que amar a Deus leva à morte espiritual, mas amar a Deus com todo o seu ser leva a negar o “EU” e à vida eterna.

Jesus disse: “Se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue, dia a dia tome a sua cruz e siga-me. Pois quem quiser salvar a sua vida perdê-la-á; quem perder a vida por minha causa, esse a salvará. Que aproveita ao homem ganhar o mundo inteiro, se vier a perder-se ou a causar dano a si mesmo?” (Lc 9.23-25).

Para reflexão:

Nunca antes, nem mesmo na igreja medieval, os cristãos foram tão obsessivos consigo mesmos.
Auto-estima, auto-confiança, auto-isto e auto-aquilo têm substituído a discussão sobre os atributos de Deus. Ironicamente, isso tem criado o oposto do que tenciona.

Sem o conhecimento de Deus, em cuja imagem fomos criados, e sem a graça que nos transformou em filhos de Deus, o narcisismo, ou amor-próprio, desenvolve-se em depressão.

Em outras palavras, quando o crente procura realização pessoal em uma igreja bíblica é como girar em torno de si mesmo.

A casa de Deus é edificada para a glória e a satisfação dos propósitos DELE.

Vidas que O glorificam em adoração e santidade são vidas cheias de graça e paz, mas essas bençãos são secundárias, resultantes de um viver focalizado na glória de Deus.

Para aqueles que se recusam a adorar a Deus, permanecendo centralizados em si mesmos, as consequências são devastadoras.

O consumidor cristão transforma Deus em seu inimigo, porque Ele é zeloso por sua glória (Êxodo 34:14). Em Malaquias 2:2, por exemplo, Deus oferece uma advertência severa.
Os crentes que pensam que a igreja está aqui para serví-los devem parar, prestar atenção e arrepender-se.” (John Macarthur)

“Olhai por vós mesmos; não aconteça que os vossos corações se carreguem de glutonaria, de embriaguez, e dos cuidados da vida, e aquele dia vos sobrevenha de improviso como um laço.” (Lucas 21:34).

Continue lendo...

Eclipse Solar é uma Profecia de Isaías para o dia de Deus

eclipse-solar-2011-no-brasilEis que vem o dia do SENHOR, horrendo, com furor e ira ardente, para pôr a terra em assolação, e dela destruir os pecadores. Isaías 13:9


Porque as estrelas dos céus e as suas constelações não darão a sua luz; o sol se escurecerá ao nascer, e a lua não resplandecerá com a sua luz.

E visitarei sobre o mundo a maldade, e sobre os ímpios a sua iniqüidade; e farei cessar a arrogância dos atrevidos, e abaterei a soberba dos tiranos.

Farei que o homem seja mais precioso do que o ouro puro, e mais raro do que o ouro fino de Ofir.

Por isso farei estremecer os céus; e a terra se moverá do seu lugar, por causa do furor do SENHOR dos Exércitos, e por causa do dia da sua ardente ira.

E cada um será como a corça que foge, e como a ovelha que ninguém recolhe; cada um voltará para o seu povo, e cada um fugirá para a sua terra.

Todo o que for achado será transpassado; e todo o que se unir a ele cairá à espada.

E suas crianças serão despedaçadas perante os seus olhos; as suas casas serão saqueadas, e as suas mulheres violadas.

Eis que eu despertarei contra eles os medos, que não farão caso da prata, nem tampouco desejarão ouro.

E os seus arcos despedaçarão os jovens, e não se compadecerão do fruto do ventre; os seus olhos não pouparão aos filhos.

E babilônia, o ornamento dos reinos, a glória e a soberba dos caldeus, será como Sodoma e Gomorra, quando Deus as transtornou. Isaías 13:10-19


Continue lendo...

MISTERIOS E UFOLOGIA

Mais Populares

 
Copyright © 2016 ORIGINAIS NEWS • All Rights Reserved.
Template Design by ORIGINAIS OADM • Powered by Blogger
back to top