MEDIUNIDADE SEGUNDO UM EX-SATANISTA

espaciociencia.com.wp-content.uploads.2009.05.religion-sweden2-thumb
Bill, por favor, descreva o que significa se tornar um “canalizador” ou médium.
Bem, isso basicamente significa ser treinado para desenvolver a habilidade de supostamente se comunicar com pessoas que já partiram, pessoas mortas. E isso é algo que as pessoas querem, não é algo como no filme “O Sexto Sentido”, no qual o garoto se apavorava porque, involuntariamente, via pessoas mortas. E existem muitas igrejas espiritualistas, como são chamadas, ou conhecidas também como sessões espíritas. As pessoas vão para essas sessões e cantam alguns hinos. Então o médium, que em geral é o líder espiritual do lugar, se levanta. E ele ou ela terá um espírito-guia que virá e será como o “Mestre Cerimônias”. E esse espírito-guia dirá algo como: “O tio Harry está aqui e quer falar com seu sobrinho”. Ou: “A vovó fulana-de-tal quer falar com o neto”. E então a voz muda e supostamente essas diferentes personalidades são recebidas. Elas falam. É comum haver diferentes tons de voz. E algumas vezes compartilham coisas que supostamente só a pessoa que morreu saberia. Essa é, essencialmente, a base da religião espiritualista ou espírita.
Obrigada.
Permita-me acrescentar algo, sem querer interromper, mas quando se entra no campo da canalização, sendo o termo mediunidade o mais comum usado dentro da Nova Era, você tem essa nova abordagem “chique”, onde em vez de apenas se receber uma pessoa morta que poucos conhecem, há o contato de grande personalidades da História, O exemplo mais óbvio é J. Z. Knight, uma mulher em Washington que tem Ramtha, que é o príncipe guerreiro de Atlântica de 35.000 anos. Não se trata de uma mera canalização... Tudo isso começou com Madame Blavatsky que começou canalizando os Mestres Ascensionados. Então tudo toma uma outra conotação. Em vez de se ter apenas pessoas mortas comuns, você passa a canalizar personalidades imortais que são tidas como semi-deuses.
Entendo. Como e por que você se tornou um médium espiritualista?
Bem, desde o começo minha esposa e eu andávamos atrás de uma mulher muito gentil e inteligente que era professora na Universidade do Nordeste de Iowa, líder de uma igreja espiritualista. Ela se chamava Barb Selwa. Quando entramos na igreja dela, ela nos disse: “Vocês dois aí precisam entrar para a nossa organização”. Parcialmente porque estávamos interessados na mediunidade, pois conhecíamos, por exemplo, Sibil Leek, um dos mais famosos precursores iniciais da bruxaria, e também médium. Ela trabalhou com o famoso caçador de fantasmas Hans Holzer como médium. Então, pensamos: “Oh, seria ótimo ser bruxo e médium ao mesmo tempo!” Pois isso poderia aumentar nossa renda. Ela tinha uma organização sem fins lucrativos pela qual poderíamos receber ofertas das pessoas. Então fizemos cursos com ela. Havia um curso completo e, basicamente, fomos treinados como médiuns e usamos isso para o nosso próprio desenvolvimento espiritual, conforme pensávamos na época, nos comunicando com esses “seres elevados”. E cada um de nós tinha três ou quatro espíritos-guia elevados que nos davam toda essa profunda instrução espiritual. Então essa deveria ser a forma como nós nos ajudaríamos e aos outros a crescer espiritualmente e a entender seu karma e suas vidas passadas.
Por quanto tempo foram médiuns?
Por volta de 15 ou 14 anos.
As pessoas de fato canalizam os mortos, ou se trata de um fantasma? Como acontece?
A Bíblia me parece muito clara ao dizer que, a não ser em circunstâncias extraordinárias, não há como nos comunicarmos com os mortos. Há um abismo entre nós. Então, o que creio, de acordo com as Escrituras, é que essas entidades que vêm falar, quer sejam supostamente mestres elevados ou entes queridos que morreram, são, na verdade, espíritos familiares. E as pessoas não deveriam estar surpresas, pois um demônio é capaz de saber tudo sobre a vida íntima de alguém. Eles são capazes de revelar toda sorte de informação através do médium. E elas pensam:
“Oh, ele realmente está se comunicando com alguém que partiu”. Mas creio que são os espíritos familiares que se comunicam e não tenho nenhum razão para crer que qualquer pessoa morta tenha sequer se comunicado com os vivos.
O que acontece durante uma sessão de canalização normal?
Bem, no nosso caso, tínhamos um monte de gente sentada ao redor em um círculo. E o interessante é que começávamos cantando velhos hinos protestantes, tais como “Graça Suprema”, dentre outros, ou algo para aumentar as vibrações. Então o médium que estava presidindo entrava em transe. E isso envolvia basicamente muita respiração pesada. Éramos instruídos a treinar certos exercícios de respiração, como os que praticam pranayama, e deixar que o espírito preencha seu corpo parcialmente, ainda restando um pouco de você lá, no que seria chamado de chackra coroa. E todo o resto do corpo é inabilitado pelo espírito. Há variações, mas basicamente você se levanta e vai até a pessoa no círculo e o espírito dá uma mensagem. Diz certas coisas. Em geral, não é travado um diálogo. É mais ou menos como: “Sinto que o espírito está me pedido para dizer a você que blá, blá, blá”. Então se dá à pessoa algum tipo de mensagem a qual pode ter ou não alguma forma de ser checada. Se for dito à pessoa: “Há 5 mil anos, você era uma princesa suméria”, como ela poderá comprovar isso? Não há como se checar isso cientificamente. Mas é mais ou menos o que acontece. Se há uma necessidade de cura, a pessoa que está canalizando o espírito impõe as mãos sobre a outra e ora para que ela seja curada, (risos) Bem, não quero me alongar... mas existem algumas histórias interessantes sobre curas nesses círculos espíritas que mostram como eles não funcionam muito bem.
Compartilhe uma.
Certa vez, eu estava em um círculo desses, sendo treinado e a mulher ao meu lado tinha uma infecção uterina. Orei para que ela fosse curada e eu fiquei com a infecção uterina — o que é uma loucura porque eu não tenho útero, (risos) Então fui ao médico e ele disse: “Não dá para acreditar, mas seu exame de sangue está mostrando um tipo de infecção que as mulheres costumam ter no útero. Nunca ouvi falar de um homem ter essa infecção.”
Puxa! Como uma pessoa morta consegue curar alguém?
Não consegue... você precisa entender que esses mestres elevados não são pessoas mortas. Eles se mostram como semideuses, como sendo um tipo de anjo. Mas isso não é verdade, porém, é no que as pessoas crêem. Nós tínhamos uma hierarquia. Havia o que chamávamos de pessoas mortas, ou do antigo plano regular. E também havia os espíritos- guia e o que chamávamos de “guia da vida”. E este era o espírito-guia especial que ficava com você do momento em que nasce até quando morre. Ele era mais avançado. Os outros guias podiam ir e vir, mas o seu guia da vida ficava com você a vida toda. O meu, supostamente, era um monge franciscano no século XV chamado Ambrosius. Então, pelo guia
da vida, aprendemos o que chamávamos de “doutores da divindade”, o que não tem nada a ver com um grau teológico. É uma espécie de guia extremamente poderoso tão tremendo que raramente entra no corpo humano e que era visto como algo bom. Pois, por exemplo, uma noite um desses guias veio e me possuiu e adquiri a metade desses meus cabelos brancos naquela noite apenas. Só por este guia ter entrado em meu corpo. Porque eles simplesmente drenam toda a força vital dentro de nós. Aprendi depois por um espírito guia diferente que apenas pelo fato desse grande e poderoso doutor da divindade ter me possuído por uns, digamos, 15 ou 20 minutos, ele sugou 5 anos do meu tempo de vida. O que eu rejeito, agora que sou cristão, em nome de Jesus.
Que bom!
Mas na época, minha esposa ficou muito assustada. Foi um período muito assustador.
E você decidiu parar com isso por que?
Nunca mais voltou a acontecer. Eu inchei tanto que rasguei a roupa que estava usando, como acontecia no seriado antigo “O Incrível Hulk”, no qual as roupas do rapaz se rasgavam. Ela não sabia o que estava acontecendo, pois estava sentada lá e queria me ajudar e, de repente... Isso não é algo que eles ensinam na escola para médiuns, mas estava acontecendo conosco. Minha esposa pensou que eu fosse morrer. Foi muito assustador, com certeza. E também foi assustador para mim, porque parte de você continua consciente, mesmo estando em um estado de sonho, e sentia meu coração bater muito acelerado. Era como se eu estivesse tendo um ataque cardíaco ou algo assim. Mas era apenas esse poderoso “doutor da divindade” possuindo meu corpo. E talvez esteja se perguntando: Já que ele era tão poderoso, deveria saber as conseqüências de entrar em um corpo humano, certo?
Mmm.
Mas, outra vez, isso ilustra que, na verdade, são demônios que não sabem muito bem o que estão fazendo. Quero dizer, os demônios são tão burros quanto uma porta. Eles não sabem o que fazem e somente cumprem as ordens dos seus superiores.
O que, na verdade, é um demônio?
Bem, trata-se de uma pergunta controversa. Um demônio é uma entidade espiritual de baixo nível que está abaixo do ser humano na hierarquia espiritual. Há a crença errônea de que eles são anjos caídos.
Não são. Os anjos caídos estão em uma ordem muito superior na vida espiritual. A teoria que abraço para o que são os demônios nos remete a Gênesis 6, onde os anjos caídos vieram, tiveram relações com mulheres humanas e produziram descendentes que se chamavam Neflins — os homens mais poderosos e renomados da Antigüidade. E quando esses seres foram enterrados no chão, pois eram meio anjos, seus espíritos sobreviveram como demônios. Creio que é daí que os demônios vêm. Há também a teoria de que eles nasceram da deusa demoníaca Lilite, que supostamente foi a primeira esposa de Adão. Essa é a teoria dos rabinos sobre a questão, mas que eu não necessariamente concordo. E existem outras teorias.
Então o que você canalizou?
Bem, todos eles. Canalizei de tudo... Claro, eu tinha o meu guia da vida. E cerca de outros 4 ou 5 guias. Um era um médico bruxo africano. Outro um índio americano. Éramos muito politicamente corretos naqueles dias, mas esses eram os de sempre. Além desses, tive raras aparições de “Jesus” — se dizendo como tal ou não. E certa vez, quando estava fazendo uso do lado obscuro das coisas de forma mais profunda, tive a visita de Nero. Tive também Aleister Crowley fazendo aparições freqüentes, com sotaque inglês e tudo. Até Adolph Hitler baixou em mim algumas vezes e me aconselhou que eu precisava exterminar todos os judeus.
Uau!
Quero dizer, recebi a visita das “personalidades mais agradáveis até
ai mais detestáveis. Mas, é claro, eram todos demônios. O Jesus que veio a mim não era o verdadeiro Jesus Cristo de Nazaré.
Como você sabe mesmo se ele era Jesus ou não?
Bem, na época, o princípio era estabelecer um forte relacionamento de confiança com seu guia da vida. E, supostamente, ele é um ser evoluído o suficiente para apartar qualquer um que seja detestável. Mas mesmo assim, quando um espírito se aproxima, quer seja para falar com você ou para somente incorporar, deve-se perguntar, como já mencionei antes, “Você vem da luz”? E ele deve responder: “Sim, é claro que venho da luz. Sou um luciferiano...” Então é assim que você deve classificar esses seres. Mas, teoricamente, o guia da vida também deveria classificá- los. Ele deveria dizer: “Oh, aqui está Jesus, o mestre, e ele deseja falar com você.” Então, o tal “Jesus” entraria e a coisa daria prosseguimento.
Entendi que o problema em se aprender com os espíritos-guia é que eles não possuem tanto conhecimento como nós. Por exemplo, o que um monge do século 15 poderia ensinar a alguém do século 21?
Bem, até concordo com você, na prática, mas, em teoria, eles seriam seres elevados e teriam acesso a todos os registros akáshicos e podem ver o passado, o presente e o futuro... Mas sabe o que é estranho? Pelo fato de eu e minha esposa geralmente termos feitos consultas mediúnicas quase todos os dias em particular, só nós dois, fazíamos perguntas importantes, como decisões da vida deveríamos tomar. E eu estava tentando fazer uma consulta com I-ching. Você já usou I-ching? É uma espécie de biscoito da sorte chinês que dá respostas. Por exemplo, se tentar perguntar: “Devo assumir este emprego em West Alice, Wisconsin?” A resposta será: “O homem superior atravessa o rio e colhe grãos de arroz” E, na metade das vezes, esses guias nos dão essas respostas extremamente obscuras e estranhas. Creio que, em parte, porque os demônios não sabem o futuro. Apenas Yahweh conhece o futuro. Somente Deus conhece o fim desde o começo. Então recebemos essas respostas ambíguas e confusas que nos fazem quebrar a cabeça e nos perguntar o que de fato significam.
Os mestres elevados estão se tornando muito populares nesses dias. O que você diria para as pessoas que adoram conversas com esses supostos “João Batista”, “Jesus” e outros?
Eu lhes diria que há uma passagem em Isaías capítulo 8 que diz:
"Consultai os que têm espíritos familiares e os adivinhos, que chilreiam e murmuram: Porventura não consultará o povo a seu Deus? A favor dos vivos consultar-se-á aos mortos? À lei e ao testemunho! Se eles não falarem segundo esta palavra, é porque não há luz neles.”
Sabe o que isso quer dizer? A lei é com certeza a Torá, o Velho Testamento. O testemunho é o testemunho de Yahushua, Jesus Cristo. Então, se essas entidades dizem ser quem são, então precisa comparar o que dizem com as Escrituras, pois a regra é “a primeira revelação julga a posterior”, pois, em Malaquias 3:6, Deus diz: “Sou Yahweh, não mudo”. Então Ele não vai dizer algo há 5 mil anos e outra coisa totalmente oposta no século XXI. Então que diria a qualquer um que está supostamente se comunicando com um mestre elevado, quer seja “Jesus”, “Moisés” ou qualquer outro é: O que eles dizem está de acordo com a Bíblia? Então, não dê ouvidos. E simples. Essa é a conclusão a qual chegamos. Pois a Bíblia é uma fonte de verdade objetiva pela qual tudo pode ser medido. Porque, do contrário, você está à deriva de uma total subjetividade e não tem como saber se é verdade quando algum espírito vem até você e diz: “Existem na verdade quatro deuses: Moe, Larry, Curly e Curly-Joe e eles são as supremas divindades do universo.” Você deve ir a Deuteronômio
6:4 que diz: “Ouvi, ó Israel: Yahweh Elohim é o único Deus” e então
descobre que a declaração de que existem quatro deuses é falsa. É
simples.
Você chegou a descobrir a identidade do ser que você canalizava e que dizia ser “Jesus”?
Não, nunca. Presumo que seja algum demônio relativamente astuto para fazer uma imitação crível do que a média das pessoas consideraria ser Jesus.
Segundo sua experiência, a canalização já chegou a ajudar alguém?
Deixe-me pensar... Acho que me lembro de uma ocasião, depois de
15 anos de prática nisso. Pois, em geral, você dá um conselho vago e metafísico, mas lembro de um rapaz a quem estávamos fazendo uma consulta e nós o advertimos: “Tome cuidado, porque você vai cair e escorregar no gelo.” E cinco dias depois ele caiu e escorregou no gelo e, por pouco, não quebrou a perna. Mas, com certeza, isso não foi de grande ajuda, porque ele acabou caindo de qualquer jeito. (risos) No entanto, todos ficaram: “Oh, foi uma previsão profética. E ficaram muito empolgados com isso. E dobrou o número de pessoas em nossa reunião espírita semanal. Na maior parte das vezes, assim como conosco, se alguém nos chegava com alguma pergunta concreta, as respostas dadas, em geral, eram vagas... Porque nos era ensinado em nosso treinamento mediúnico que não era nosso papel, como médiuns, dar respostas às pessoas. Era nosso papel dar entendimento para ajudá-las a obter a respostas dentro delas mesmas. O que nos poupava de processos no futuro. Porque se você diz a alguém: “Você deve se divorciar da sua esposa e casar com a sua colega de trabalho no banco”, acabará se envolvendo em um terrível acordo de separação. Mas era assim que éramos treinados.
A canalização pode fazer mal a alguém?
Acho que fez a nós. Porque grande parte dos conselhos espirituais que vinham através de mim acabaram nos conduzindo a algumas direções perigosas. Até o ponto, digamos, do vampirismo. Estou certo de que o mesmo é verdade para as pessoas que buscaram conselho conosco. Porque muitas vezes nós e essas pessoas fomos encorajados a fazer parte de atividades muito, muito pecaminosas. Como, por exemplo, quando estava no vampismo, muitas das mulheres estavam recebendo orientações de espíritos que diziam: “Seria muito bom para sua evolução espiritual se permitisse que o Bill mordesse o seu pescoço e bebesse o seu sangue.” O que não era um conselho muito bom. Isso foi nos primeiros dias do surgimento da AIDS e, até eu não ficar preocupado em ser
contaminado ou contaminar alguém com AIDS, não me pareceu algo ruim. E continuamos fazendo isso. As vezes, aconselhávamos as pessoas, digo, os espíritos-guia aconselhavam as pessoas a tomarem perigosas drogas alucinógenas. Eles as aconselhavam a fazer outras coisas também pouco inteligentes e, é claro, em geral, as aconselhavam a realizar rituais ocultistas muito perigosos.
Mas eles nunca davam instruções claras para se fazer algo?
Oh, sim, sim...Não me vem um caso agora à mente.... Entenda que isso foi há 25 anos. Não consigo lembrar de nenhum caso, mas com certeza ocorreu. Porque, repito, eu e minha esposa, sem querer parecer falso, éramos pessoas de bom coração. Pensávamos estar servindo ao Deus vivo e verdadeiro. Pensávamos estar ajudando as pessoas. E por isso nunca pensamos estar dando um conselho ruim a alguém, pois o que sempre nos ensinaram, o que essa senhora nos ensinou e o que Barb Selwar nos ensinou foi uma passagem de I Coríntios, acho que I Coríntios
14 que diz: “O espírito dos profetas está sujeito aos profetas”. Então sempre aprendemos que com isso em mente, poderíamos controlar os guias se eles dissessem algo que não considerássemos certo. Pensávamos que poderíamos impedi-los.
E o que você diria para as pessoas que canalizam ou que vão atrás de médiuns?
Bem, eu diria que isso é algo muito perigoso. Porque não sabemos com quem estamos lidando. Não há a menor noção. A Bíblia diz claramente, em diversas ocasiões, que não devemos nos comunicar com os mortos, que não devemos ir atrás de médiuns, adivinhos ou pessoas do tipo. Claro que a palavra “canalizador” não está na Bíblia, pois é um termo da Nova Era. É algo muito perigoso. E se você é um médium ou um canalizador, você está basicamente convidando para dentro do seu corpo entidades que você não tem a menor idéia de quem são. Você não conhece essas pessoas de fato. Apenas perguntar: “Você vem da luz?” de nada adianta.
No que você acha que seus espíritos-guia o ajudaram ao longo daquele período?
Como um relógio quebrado pode marcar a hora certa umas duas vezes no dia, eventualmente eles davam algum conselho bom. Nem deveria dizer isso. Mas com uma visão panorâmica, acho que 75% das coisas não prestavam e 25% chegavam a ser bons conselhos.
Você diz em um dos seus livros que seus espíritos-guia o encorajaram sutilmente a entrar para a Igreja de Satanás. Eles realmente falavam isso nessas palavras?

Ah, sim. O que acontece é ouvir as palavras em sua mente. Não se trata de uma voz audível. Isso é um artefato bem antigo, acho que nem existe mais, mas alguns médiuns tinham o que parecia ser um megafone, que ficava no local onde estava sendo realizada a sessão espírita, e uma voz, sem corpo, falava através da trombeta. Isso era denominado “médium de trombeta”. Era altamente valorizado e, às vezes, havia médiuns que literalmente se sentavam... é assustador de se ver... eles se sentavam assim... Com a boca aberta, mostrando a língua, sem mexer a boca, mas uma voz saindo.
clip_image002

Bill imitando um médium em específico. Que horror!
Mas não se via os lábios ou a língua se moverem. E essa voz profunda ou sei lá o que ficava falando. Mas em nosso caso, na maioria das vezes, isso só acontece em geral com esses guias de alto nível que gera em você certas perturbações. Em geral, eu ouvia uma voz em minha cabeça. Era de maneira muito clara “a voz” e ressoava até as minhas cordas vocais, e acabava saindo com um sotaque. Como o médico bruxo africano, ele soava como tal. No caso do monge inglês, da mesma forma. Na verdade, era é de Edinburgh, então tinha um sutil sotaque escocês. De qualquer forma, eram essas vozes que eu escutava. Esqueci o que você perguntou, era o que eles me diziam?
Foi sobre se juntar à Igreja de Satanás?
Sim, eu fui...
Porque muitas pessoas não acham que os espíritos-guias diriam esse tipo de coisa.
Oh, não, eles me disseram mesmo... Bem, no começo era apenas uma sugestão inicial, como o rapaz que tinha uma livraria ocultista em Milwaukee na época, mas íamos até os guias e perguntávamos: “Isso é certo?” E eles respondiam algo como: “Bem, você precisa entender que Anton LaVey é um Mestre Elevado que encarnou, é um boddhisatwa. Pois é engraçado dizer que a Igreja de Satanás é algo tão ruim, mas bem mais amena se comparada ao satanismo de alto nível. Nós costumávamos chamá-la de playground de satanismo. Não é um satanismo sério. Eles nem sequer crêem no diabo na Igreja de Satanás. Então se juntar à Igreja de Satanás não é um passo metafísico tão grande quanto se possa imaginar.
Entendi. Bem, muita gente também gosta de conversar com anjos e receber conselhos deles. Você acha que isso é algo bom?
Bem, não entendo o propósito de se conversar com um intermediário quando se pode conversar com o chefão.
E todos os anjos são bons? É a intenção da minha pergunta.
Não, nem todos são bons. Existem os anjos caídos. E somos advertidos na Bíblia contra a adoração a anjos. Acho que a maioria dessas coisas que existem hoje não é boa. Como Doreen Virtue, ou algo assim, e outros que ensinam que “Oh, você precisa conversar com seus anjos”. E possuem cartas de anjos, e anjo disso, anjo daquilo. Somos advertidos contra esse tipo de coisa. Porque os anjos não existem para glorificar a si mesmos, os anjos bons. Os anjos bons irão somente direcionar sua adoração e suas perguntas e tudo mais ao Todo-Poderoso. Apenas um anjo mal irá encorajar toda sorte de devoção e adoração errada. Porque a adoração pertence apenas ao Todo Poderoso Yahweh no céu. Não pertence a nenhum anjinho de meia-tigela. Eles são seres espetaculares, mas se comparados ao Todo Poderosos são floquinhos de algodão. Enquanto temos o direito, como cristãos, de ter a Rocha, o Espírito Santo, vivendo em nossos corações, e podemos conversar com Ele, para que perder tempo com algum anjo burro? Ou seja, porque ir falar com o gerente quando se pode falar com o chefão?
É verdade. Obrigada.
Veja também:

Ataques Malignos segundo ex-satanista
Illuminati segundo um ex-satanista
Lobisomens e Licantropia segundo ex-satanista
Vampirismo entrevista com um ex-satanista
Compartilhe este artigo

PODERÁ TAMBÉM GOSTAR

Mais Populares

 
Copyright © 2016 REVELANDO VERDADES OCULTAS • All Rights Reserved.
Template Design by ORIGINAIS OADM • Powered by Blogger
back to top